Total de visualizações de página

segunda-feira, 30 de agosto de 2010

Ausência




"Socorro, eu já não sinto nada, nada"
Arnaldo Antunes


Ele tem visto tudo isso muito medíocremente... o dia-a-dia, as horas, a vida.
Tudo muito sofrível. Seu Status quo. Tudo para ele era tédio,  desânimo, desassossego.
Desesperado, ele segue os passos desta vida que é dura. Desde pequeno aprendeu a conviver com as marcas de ferro quente da realidade nas costas.
Segue com o passo lento, Os olhos baixos, curvado, com sua trouxa na mão.
Trazia consigo apenas uns versos desalinhados no caderno e um outro preso na garganta.
Sentia que tudo lhe faltava: Amor, saudade, raiva, tristeza, mágoa.
Que dizer daquilo tudo? Morte? Cansaço? Mudança?
O que dizer de tudo isso? Não sabia como responder.
Sentia-se em um universo paralelo. Sentia a sua alma ausente, a sua vida ausente, e a sua presença ausente.
De fato, o amor, o ódio e outros sentimentos afligem o homem.
Mas não há nada que causa mais dano do que a falta de motivação.
Continuou caminhando, mas não conseguiu fechar os olhos, fugir da realidade.




Renato Marques

Um comentário:

  1. Show.
    Esse sou eu em dias ruins...
    mergulha no escuro sentimento e sempre tras perolas...

    ResponderExcluir