Total de visualizações de página

quarta-feira, 4 de agosto de 2010

A tua voz




Trazia qualquer coisa que se pode chamar de Paz. Ainda está em meus ouvidos, falando da sua vida, dos teus problemas.

Do seu instante de febre e das suas alegrias me falava.

Ecoou em meu quarto, a tua voz. Sem pedir licença, invadiu minha casa, meu pequeno mundo, as minhas orações. Dominou as minhas inseguranças, meus medos, dissipou o meu ódio. Passou pela cozinha, visitou a minha irmã. Deu voltas em meus ouvidos e dormitou na minha mente.

Senti a sua presença leve e comovente através do som do teu riso. A força da tua expressão é o que te fez presente e deu vida a esta noite morta. O triste tom suplicado de um Si menor engraçado e franco atravessou quilômetros de distância... e me envolveu.

Como duas crianças, os meus ouvidos receberam este presente encantado que foi responsável por tudo isso:

A tua voz.


Renato Marques

3 comentários:

  1. "Talvez eu seja o último romântico
    Nos litorais desse oceano atlântico..."
    (Lulu Santos)

    O Lulu não é o último não, talvez o penúltimo...

    ResponderExcluir
  2. Ouvi em algum lugar que o som tem uma velocidade incrível e que...deixa pra lá...qualquer teoria se perderia no bonito do seu texto.

    Beiiijos

    ResponderExcluir
  3. Será que sou o último? kkk


    Valeu por mais esta visita por aqui, Giseli!! =D

    ..................................................

    Naty, a você digo o mesmo, hermana!rs

    Obrigadão!!

    Beijos!
    =D

    ResponderExcluir