Total de visualizações de página

terça-feira, 7 de setembro de 2010

Sensibilidade




Sensibilidade é olhos nos olhos. Tudo aquilo que o coração sente e que a razão se esforça em entender. É isso. Tudo o que podemos chamar de "A sublime graça dos cinco sentidos". Sensibilidade é o olhar vago atrás da cortina enquanto chove lá fora. É olhar para o céu e admirar a beleza da noite que se esconde atrás da luz do dia. Sensibilidade é a palavra degustada com exagero de açúcar. Sensibilidade é riso e choro. Um abraço um beijo no rosto, o sorriso de quem se gosta. O despertar da vida. Estado mais puro e admirável e alvo e transparente. O que nos acalenta o espírito. É o alto índice de amor ao próximo. Amor exacerbado, destes que molham, encharcam, transbordam, inundam e faz de tudo uma simples jangada que navega à deriva, em seus mares que também podemos chamar de felicidade. Um Carinho, um gesto humano. É o transporte mais seguro para o mundo das idéias, onde caem por terra todos os pressupostos, todos os rótulos. Sensibilidade é caridade, que também é amor. Sentir na pele o gosto de viver;  reconhecer a inconfundível sonoridade dos passos da pessoa amada. É o afago suplicado através do silêncio e, mais do que isso, é o ato de compreender e atender a esta súplica. É o puro tato do abraço. O que tem poder suficiente para imortalizar e eternizar o instante. É a forma mais simples e complexa que resulta da fusão da emoção com a intuição.

Dai-nos Senhor a sensibilidade Vossa. A cada dia!



Renato Marques

Um comentário:

  1. Adoro gente de gesto sensível. Porque sensibilidade também é sentir e dividir. Bonito texto, sincero texto, como sempre.

    Beijos

    ResponderExcluir