Total de visualizações de página

quarta-feira, 20 de outubro de 2010

Direito à Literatura




"No Pão de Açúcar
De Cada Dia
Dai-nos Senhor
A Poesia
De Cada Dia"
Oswald  de Andrade



Segundo Antônio Cândido "... Certos bens são
obviamente incompressíveis, como o alimento, a casa, a roupa.

Outros são compressíveis como os cosméticos, os enfeites, as roupas
extras...".

Com certeza, não é exagero considerar a leitura entre os bens
incompressíveis. Não digo apenas a leitura acadêmica ou informativa, mas
também a leitura de textos literários. Todo o ser humano tem a necessidade
de entrar em contato com alguma espécie de fabulação.

Existem vários tipos de meios que podem levar as pessoas a terem este tipo
de contato que varia desde o sonho até a tv, mas, com certeza, o livro é o
instrumento que melhor satisfaz esta necessidade que o ser humano possui.



Renato Marques

segunda-feira, 11 de outubro de 2010

Por um [Últra]Romântico



"Coração, por que tremes? Vejo a morte,
Ali vem lazarenta e desdentada...
Que noiva!... E devo então dormir com ela?
Se ela ao menos dormisse mascarada!"
Álvares de Azevedo



Um silenciar, no coração,
Que incomoda - tal como eu sinto.
Não quero a vida, com tuas rosas,
Mas mil vezes mais, os teus espinhos.

Um descompasso, a solidão
Sem paixão que me embriague - um absinto.
Quero antes amar, sem direção,
E caminhar a um abismo.

Quero no peito a tuberculose.
Amor não é mais que doença do peito,
Sôfrega dor que corrói por dentro.

Não quero o viver sem  forte tosse.
A vida não é mais do que esterco enfeito!
Mandem a morte vir dormitar meu Leito.


Renato Marques