Total de visualizações de página

domingo, 19 de junho de 2011

Quase



"E tudo acabou
E tudo fugiu
E tudo mofou"
(Carlos Drummond de Andrade)


Apenas meio triste, como estes que são meio felizes.
Meio calmamente inquieto.
Um pouco de muito não-se-sabe-o-que-se-é-ou-está.
Saudade é sempre uma verdade.
A paz é sempre um pouco de silêncio.
A vida é sempre muito disso tudo.
Quase.
Queria aprender a invariavelmente variável:
A equação dos que buscam sem dar por isso totalmente.
Ela, que é terminavelmente sem resultado exato.
Exato!
 - Buscar é viver?
Quase.
 - Amar é morrer?
Quase.
 - O poema acabou?
Quase
 - O bonde não veio?
Quase.

Quase.

2 comentários:

  1. É esse quase que mata, né?!
    A propósito, o poema é seu e a epígrafe é do Drummond???

    Gostei muito!

    ResponderExcluir
  2. Olá, Ana!!!

    Isso mesmo! Poema de minha autoria e epígrafe do Drummond!

    Muito obrigado pela sua visita e pelo incentivo!!Abraços!!

    =D

    ResponderExcluir